InvestimentosJornada

Investimentos com baixo retorno: como evitar!

Por 14 de agosto de 2018 Sem comentários
investimentos com baixo retorno

Como evitar investimentos com baixo retorno

Existem diversas possibilidades para investir o seu dinheiro e aumentar o seu capital ao longo do tempo. No entanto, para que todas essas aplicações sejam realmente vantajosas para você, empreendedor, é preciso que você saiba exatamente no que quer aplicar e se sua opção está aquecida no mercado. Considere o contexto econômico e os possíveis cenários futuros, assim você minimiza bastante a possibilidade de uma escolha errada.

A escolha dos melhores investimentos depende, basicamente do objetivo, do prazo e do valor que você tem disponível. Uma aplicação que pode ser ideal para o longo prazo, pode não trazer bons rendimentos  no curto prazo. E um investimento muito vantajoso para quem tem uma expressiva soma de dinheiro, pode ser muito desaconselhável para o pequeno investidor. Por isso, para o escolher a opção mais vantajosa é preciso avaliar as alternativas viáveis em cada situação.

Para aqueles que têm menos intimidade com esse universo, ou ainda para quem  pretende dar um passo mais arrojado, o ideal é contar com a orientação de um profissional do ramo. Ele é a pessoa certa para indicar, por exemplo, quando as opções de Título do Tesouro são mais indicadas do que os Fundo de Renda Fixa Crédito Privado, que costumam trazer rentabilidade maior, mas envolvem maiores riscos. Apostar nos Fundos de Investimentos corretos – com a orientação assertiva para tanto, pode trazer resultados rápidos e expressivos.

Investimentos-com-baixo-retorno-Onde-investir Investimentos com baixo retorno: como evitar!

Investimentos com baixo retorno – Onde investir

Para quem tem pouco tempo para investir, a dica de ouro para evitar prejuízos é evitar aplicações arriscadas e com pouca liquidez. O mercado imobiliário, por exemplo, é uma excelente e rentável opção para quem é mais conservador e quer investir.  Mas para que o retorno seja satisfatório é importante estudar sobre a região e as características dos imóveis com maior liquidez e valorização. Assim evita-se a possibilidade de ficar com patrimônio imobilizado ou se depreciando.

É preciso fugir das escolhas óbvias, mas sabidamente sem resultado, como a onipresente caderneta de poupança, que apesar de seu apelo afetivo e histórico na economia nacional, há muito deixou de trazer lucros reais para seus correntistas. Hoje, seu rendimento de pouco menos de 0,4% ao mês é incapaz de evitar a depreciação do capital imobilizado. Converse com o seu agente e descubra as alternativas.

Precisa investir? Venha conversar conosco!

Comentar na Publicação